• 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6

Nina Balbi | Foto de Seblen Mantovani

Fred Araujo, Dominique Arantes e Marília Misailidis | Foto de Seblen Mantovani

Fred Araujo, Marília Misailidis, Dominique Arantes, Nina Balbi e Vítor Peres | Foto de Seblen Mantovani

Dominique Arantes, Fred Araujo, Nina Balbi, Vítor Peres e Marília Misailidis | Foto de Seblen Mantovani

Vítor Peres, Nina Balbi e Fred Araujo | Foto de Seblen Mantovani

Marília Misailidis, Fred Araujo, Dominique Arantes, Vítor Peres e Nina Balbi | foto de Maurício Stal

 

Algumas palavras sobre o Dragão

Terceira criação do Inominável, o drama Como cavalgar um dragão estreou em 2011 integrando a programação do TEMPO FESTIVAL, após receber o patrocínio da secretaria municipal de cultura (smc) do Rio de Janeiro através do Fundo de Apoio ao Teatro (FATE) em 2011. Com dramaturgia de Diogo Liberano e direção de Liberano e Flávia Naves, Dragão apresentava o reencontro de cinco amigos no apartamento de um amiga em comum, dois meses após o seu suicídio.

 

 

O projeto nasceu a partir de um olhar sobre a palavra “atravessamentos”, numa investigação sobre situações limites que acontecem em nossas vidas e que, após acontecerem, nos fazem questionar todos os alicerces da existência e da vida em sociedade. O título da peça foi, então, uma tradução à pergunta primordial de nosso processo: como ultrapassar uma questão que não admite resolução?

A aposta cenográfica, assinada por Rafael Medeiros, também parte do mote “atravessamentos” para compor o espaço de um apartamento onde as paredes são telas de pintura cruas que evidenciam o universo representacional do espetáculo e, que passam a ser atravessadas pelos atores na evolução da dramaturgia. Abaixo, um trecho do texto O Dragão, escrito pelo dramaturgo Diogo Liberano e postado no blog do espetáculo:

Pois dois meses antes, dormia dentro de Lilla incontido. Queria ser o que a garota em seu íntimo alimentava em segredo. E o íntimo dela era ele, o dragão que agora repousa sem casa ainda é a Lilla, porém com a face desarranjada.
Dois meses depois, eis que ali se encontram os amigos de Letícia para dividir entre si os pertences dela que ainda ocupam o quarto. O apartamento vazio e semi-reformado, aguarda – ansioso – a saída desse dragão para ser vendido ou alugado.


Confira o texto completo no blog do espetáculo:
http://atravessar.blogspot.com.br/2012/01/o-dragao.html

 

Equipe de Criação

Como cavalgar um dragão

Dramaturgia, criada em processo colaborativo: Diogo Liberano
Direção: Diogo Liberano e Flávia Naves 
Atuação e Criação: Dominique Arantes (Andréia), Fred Araujo (Inácio), Marília Misailidis (Rita), Nina Balbi (Cecília) e Vítor Peres (Odilon)
Interlocução: Marina Vianna
Assessoria Teórica: Juliano Garcia Pessanha
Colaboração Teórica: Gustavo Guimarães
Cenário: Rafael Medeiros
Figurino e Visagismo: Júlia Marini
Iluminação: Renato Machado
Direção Musical: Rodrigo Marçal
Preparação Vocal: Verônica Machado
Designer: Valerycka Rizzo
Assessoria de Imprensa: Bianca Senna (Astrolábio Comunicação)
Produção Executiva: Tamires Nascimento
Direção de Produção: Rômulo Corrêa
Idealização: Diogo Liberano e Flávia Naves
Realização: Teatro Inominável


 

Alguns trechos de críticas e depoimentos

 

Patrocínio

O espetáculo foi contemplado pelo Fundo de Apoio ao Teatro (FATE) da Secretaria Municipal de Cultura (SMC) do Rio de Janeiro em 2010.

 

Acesse o blog do espetáculo
atravessar.blogspot.com.br

acesse a página do inominável no facebook acesse o perfil do inominável no twitter acesse a página do inominável no vimeo clique para voltar à página inicial acesse a perfil do inominável no instagram acesse a página do inominável no facebook acesse o perfil do inominável no twitter acesse a página do inominável no vimeo clique para voltar à página inicial acesse a página do inominável no facebook acesse o perfil do inominável no twitter acesse a página do inominável no vimeo clique para voltar à página inicial