voltar ao início voltar ao início



 

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6

bizonho e diogo liberano | foto de anna clara carvalho

bizonho e diogo liberano | foto de anna clara carvalho

diogo liberano | foto de anna clara carvalho

bizonho e diogo liberano | foto de anna clara carvalho

bizonho e diogo liberano | foto de anna clara carvalho

bizonho | foto de anna clara carvalho

algumas palavras sobre o narrador

sexta criação do inominável, a performance o narrador parte diretamente do ensaio o narrador – considerações sobre a obra de nikolai leskov de walter benjamin. neste ensaio, o pensador alemão apresenta um olhar sobre o empobrecimento do gesto de contar histórias e, por conta disso, reconhece também um empobrecimento da noção de experiência. é a partir deste ensaio que liberano escreve uma dramaturgia inédita, compartilhando com o público presente vivências próprias, todas elas relacionadas à morte de parentes e amigos. porém, mais que compartilhar um olhar sobre a morte, o que se busca em o narrador é justamente partir da morte para encontrar um olhar renovador sobre a experiência da vida.

com duração entre 45 e 50 minutos, o narrador se configura como um encontro entre performer e público ouvinte, entrelaçados pelo gesto de contar histórias. a dramaturgia de liberano nasce de uma mescla de narrativas distintas (cenas dramáticas, poemas, trocas de e-mails, lembranças, cartas, contos) e se afeta e se reescreve com o encontro presencial que se dá entre performer, o espaço no qual se apresenta e o público para o qual se destina.

 

icarus de henri matisse - uma das referências de o narrador

 

o performer se apresenta apenas munido do texto impresso em folhas soltas, uma pelúcia e algo para beber, além de uma composição musical original (angel de rodrigo marçal) que permanece tocando durante toda a apresentação. a performance – como esse gesto de narrar uma história – faz com que o performer retire da experiência de sua própria vida o sumo da narração, confrontando-a com o público presente e convidando-o a um jogo aberto, frente ao qual ele possa produzir seus próprios pensamentos e associações.

o projeto nasceu e foi criado especialmente para a abertura da terceira edição do evento janela de dramaturgia, em belo horizonte/mg, em abril de 2014. em abril de 2015, o narrador chegou ao grande público após se apresentar no festival de curitiba e, em seguida, cumpriu temporadas no rio de janeiro (abril e maio no espaço sesc - copacabana) e em são paulo (junho e julho - sesc ipiranga). no segundo semestre de 2015, a performance realizou mais duas temporadas cariocas: a segunda na casa da gávea - setembro - e a terceira no centro cultural justiça federal - outubro -, além de viajar por festivais e mostras em todo o brasil. pela dramaturgia da performance, a companhia recebeu indicações aos principais prêmios do teatro carioca em 2015: prêmio shell e prêmio cesgranrio.

 

equipe de criação

o narrador, performance de diogo liberano a partir do ensaio o narrador - considerações sobre a obra de nikolai leskov de walter benjamin

dramaturgia e performance: diogo liberano
composição musical: angel de rodrigo marçal
colaborações artísticas: adassa martins, caroline helena, flávia naves, joão pedro madureira e natássia vello
registro fotográfico: anna clara carvalho (rj) e betânia dutra (sp)
registro audiovisual: philippe baptiste
produção: clarissa menezes e thiago pimentel
realização: teatro inominável

 

trechos de críticas d'o narrador

indicações

indicado pela dramaturgia aos prêmios cesgranrio e shell no ano de 2015 (rio de janeiro/rj).

 

acesse a página do inominável no facebook acesse o perfil do inominável no twitter acesse a página do inominável no vimeo clique para voltar à página inicial acesse a perfil do inominável no instagram acesse a página do inominável no facebook acesse o perfil do inominável no twitter acesse a página do inominável no vimeo clique para voltar à página inicial